Iluminação sem gambiarra

Esqueça o zelador que nas horas vagas é eletricista. Reformas nessa área precisam da supervisão de um especialista

Verdade seja dita: quando pensamos em reformas nas instalações elétricas sempre aparece uma ajudinha milagrosa para fazer a famosa gambiarra. O resultado é quase sempre ruim, já que o improviso pode colocar em risco a segurança do condomínio.

Planejamento é a palavra de ordem para qualquer reforma e as instalações elétricas merecem atenção especial. Se for preciso reformar toda parte elétrica é preciso elaborar um novo projeto.

“É preciso analisar o projeto elétrico anterior para verificar até que ponto a instalação sofreu alteração. As áreas comuns do condomínio precisam ser avaliadas por um profissional técnico ou engenheiro. Nesse aspecto, as regulamentações do Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura (Confea) estabelecem que o dimensionamento das cargas deve ser realizado por profissionais técnicos legalmente habilitados com a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)”, diz o Professor do Centro de Capacitação em Tecnologia da Loja Elétrica, João Carlos Lima.

Parece simples, mas não é. Basta um mero descuido e a segurança está comprometida. E um dos maiores riscos nesse caso são os incêndios. Se for comprovado que o síndico foi negligente durante a obra, ele será responsabilizado.

Respeito à norma – Com base na norma 16.280 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), a emissão da ART pelo engenheiro responsável faz com que todas as responsabilidades técnicas caiam sobre ele. Por isso, a presença desse profissional é tão indispensável durante o projeto. E muita atenção: para qualquer reforma, é preciso ter um laudo técnico.

“Para garantir a segurança é preciso que todos respeitem a norma. Não podemos mais confiar em qualquer pessoa para esse tipo de reforma, é muito complexo. A maior dificuldade é quando a instalação é antiga. No caso, são as condições em que estão os eletrodutos e as calhas que protegerão toda fiação elétrica. Na maioria dos casos, aconselho a troca desses materiais. E isso demanda tempo e planejamento”, explica o Engenheiro Eletricista da AW Elétrica, Paulo Roberto Amoroso.

Não é só por beleza e conforto, a iluminação adequada complementa a segurança do edifício. A entrada e as áreas comuns precisam ser bem iluminadas, garantindo a visibilidade no caso de ocorrer um incidente dentro do condomínio. As luzes de emergência também não podem ser esquecidas.

“Para reduzir o consumo de energia existem os sensores de presença, minuterias e os relés fotoelétricos que fazem o controle automático das lâmpadas. Isto faz com que as lâmpadas funcionem apenas com o movimento dos moradores”, afirma Lima.

Sem projeto, o que pode dar errado?

– Aumento do consumo de energia

– Cabos elétricos indevidamente dimensionados, podendo causar superaquecimento na fiação elétrica

– Curto-circuito na instalação, com risco iminente de incêndio

Materia: http://icondominial.com.br/blog/iluminacao-sem-gambiarra/

Leave Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

I never prefer a monopusher for rolex watches stores, and this rolex replica sale exception. But how have they made something that looked would have replica watches sale exquisitely built, individually hand made and very expensive. This is a great crown though, well cut and replica watches uk to be enjoyable to operate. That design will take on a bronze is eventual patina nicely. That this watch is bronze is an innofensive choice and I think it replica watches well here. The complimentary coloured dial was a poor choice however. It is aesthetically unpleasing and is remind me of a vintage appeal either, so it fails in multiple regards. The decision to use painted blue hands cheapens the dial immediately and definitively, where the option of properly polished and swiss replica watches would have been excellent. Adding insult to injury is the literal cherry on top, a buy hublot replica seconds hand.